Saturday, May 19, 2007

talha dourada







4 comments:

expressodalinha said...

Do Brasil vinha o ouro e os diamantes, explorados pelos "bandeirantes". D. João V era um rei perdulário que a bondade da História cogniminou de "Magnânimo". O seu único interesse era o fausto e as mulheres, em especial se fossem monjas. Cinco filhos legítimos e três bastardos reconhecidos, os chamados "meninos de Palhavã". As cerimónias religiosas eram para ele o êxtase total. Quanto mais douradas melhor... A igreja agradecia. O povo nem por isso. Enquanto que o Convento de Mafra foi todo ele custeado pela fazenda pública, o Aqueduto das Águas Livres teve de ser financiado por um imposto, o "real de água".
Quando morreu o erário público não tinha dinheiro para o funeral mais faustoso que Lisboa já vira.
Quando virem talha dourada pensem em D.João V e tenham a certeza que que aí começou a política de défice permanente.

rob said...

... então foi isso...

maria antunes said...

ahhhhhhh... as coisas que eu aprendo neste blogue.

maria antunes said...

Estou cheia de saudades tuas.

Beijos